Razão de ser. Propósito de vida. Qual seu ikigai?

Você quer ganhar dinheiro ou fazer o que gosta? O que o motiva a sair de casa todas as manhãs? Trabalhar ou viver de hobby? Essas e outras perguntas provocam questionamentos no indivíduo sobre o seu papel nesta jornada na Terra. Fazer escolhas não é algo fácil, no entanto, um conceito tem ajudado pessoas a refletirem sobre o que realmente importa em suas vidas. Estamos falando de ikigai, palavra japonesa que tem suas raízes em “ikiru”, que significa “viver, e “kai”, significando “a realização do que se espera”. Unidas, criam o conceito “razão para viver” (ou “propósito de ser”).

Descobrir o seu próprio ikigai pode ser a chave para responder a dúvidas existenciais e profissionais. Num primeiro olhar parece fácil, mas requer uma profunda reflexão para responder às seguintes perguntas:

O QUE EU AMO FAZER?

– O que me motiva?

O QUE EU POSSO FAZER BEM FEITO?

– Qual minha missão? No que você é bom?

O QUE POSSO SER PAGO PARA FAZER?

– Como praticar o que amo e ainda ser pago por isso? O que valorizam em você?

O QUE POSSO CONTRIBUIR DE BOM PARA O MUNDO?

– Há uma causa pela qual eu me identifico? Como posso melhorar o mundo? [não precisa ser ligado a causas sociais ou ambientais].

Todas as respostas precisam estar organizadas dentro de um diagrama (ou mandala, como alguns preferem chamar), para que se visualize a intersecção entres elas. Algumas das respostas você pode buscar em amigos, colegas, familiares, gestores. Importante ressaltar que esse exercício não é um fim em si mesmo. Por isso vale conversar com um profissional na área de psicologia organizacional ou clínica, por exemplo, e, quem sabe,  achar um foco mais preciso que o ajude na solução de suas dúvidas. Outro ponto importante é que o ikigai pode mudar com o passar do tempo. E você, já parou para analisar qual seria o seu ikigai?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *