O futuro do trabalho no Fórum Econômico Mundial

Um dos principais temas do Fórum Econômico Mundial, realizado no começo do ano, em Davos (Suíça), foi sobre o futuro do trabalho. Um assunto que gera debates em função de um caminhar de mudanças que a sociedade tem vivenciado, por conta da nova economia, perfis de gerações entrando no mercado de trabalho, outros mindsets, tecnologia, robôs, inteligência artificial. Fatores, esses, fundamentais para entender o novo momento que refletirá em como o trabalho será gerado. Tanto que já se fala na Quarta Revolução Industrial. E esse futuro não está muito distante, pois a velocidade com que as mudanças vêm se sucedendo já revelam obsolência de muitas práticas, técnicas e a real necessidade de algumas funções.

O futuro do trabalho é um tema-chave na reunião anual do Fórum Econômico Mundial deste ano
Fonte: Reuters, via Exame

Um robô poderia fazer o seu trabalho? A resposta é um sim retumbante. O estudo Future of Jobs do Fórum Econômico Mundial prevê que 5 milhões de postos de trabalho serão perdidos antes de 2020, uma vez que a inteligência artificial, a robótica, a nanotecnologia e outros fatores socioeconômicos substituem a necessidade de trabalhadores humanos.

A boa notícia é que esses mesmos avanços tecnológicos também criarão 2,1 milhões de novos empregos. Mas os trabalhadores manuais e clericais que se encontram fora do trabalho são improváveis de ter as habilidades necessárias para competir pelos novos papéis. A maioria dos novos empregos será em áreas mais especializadas, como computação, matemática, arquitetura e engenharia. Governos e empregadores em todos os setores estão sendo instados a se capacitar e re-capacitar os trabalhadores para evitar uma crise.

“Sem uma ação urgente e direcionada hoje, para gerenciar a transição a curto prazo e construir uma força de trabalho com habilidades à prova de futuro, os governos terão que lidar com o crescente desemprego e a desigualdade, e as empresas com uma base de consumidores cada vez menor”, disse Klaus Schwab, Fundador e Presidente Executivo do Fórum Econômico Mundial.

Novas habilidades para novas economias

Então, quais as habilidades que os trabalhadores devem adquirir para garantir que eles tenham valor à medida que a Quarta Revolução Industrial se aproxima? Alguns podem se surpreender ao saber que as habilidades que desenvolvemos na pré-escola serão altamente avaliadas.

David Deming, professor associado de educação e economia da Universidade de Harvard, argumenta que habilidades suaves como compartilhamento e negociação serão cruciais. Ele diz que o local de trabalho moderno, no qual as pessoas se movem entre diferentes papéis e projetos, se assemelha às salas de aula pré-escolares, em que aprendemos habilidades sociais, como empatia e cooperação.

Deming mapeou as mudanças das necessidades dos empregadores e identificou as principais habilidades que serão necessárias para prosperar no mercado de trabalho do futuro próximo. Juntamente com essas habilidades suaves, a capacidade matemática será extremamente benéfica.

Trabalhos de habilidades únicas em declínio

Deming mostra que, nos últimos anos, muitos trabalhos que exigem apenas habilidades matemáticas foram automatizados. Escravistas e funcionários estatísticos sofreram. As funções que exigem habilidades predominantemente sociais (trabalhadores de assistência à infância, por exemplo) tendem a ser mal pagas, pois o fornecimento de potenciais trabalhadores é muito grande.

O estudo mostra que os trabalhadores que combinam com sucesso habilidades matemáticas e interpessoais nas economias baseadas no conhecimento do futuro devem encontrar muitas oportunidades gratificantes e lucrativas.

Educação de habilidades de reencaminhamento

O desafio agora, diz Deming, é que os educadores complementem seu ensino de habilidades técnicas como matemática e ciência da computação, com foco em garantir que os trabalhadores do futuro tenham habilidades suaves para competir no novo mercado de empregos.

As previsões do Fórum Econômico Mundial
Fonte: Four Sales

O relatório The future of Jobs (“O futuro dos trabalhos”, em tradução livre), realizado pelo Fórum Econômico Mundial, foi criado a partir de entrevistas com mais de 13 milhões de profissionais de nove grandes setores, em 15 mercados emergentes e desenvolvidos.

Fatores demográficos e socioeconômicos de mudança nos empregos:
Mudanças no ambiente de trabalho e acordo flexíveis de trabalho – 44%
Crescimento da classe média em mercados emergentes – 23%
Mudanças climáticas e escassez de recursos naturais – 23%
Aumento na volatilidade geopolítica (mudanças nas barreiras geográficas) – 21%
Maior interesse do novo consumidor em relação a questões éticas e de privacidade – 16%
Longevidade e envelhecimento da população – 14%
Populações mais jovens em mercados emergentes – 13%
Aumento das aspirações e do poder econômico das mulheres – 12%
Rápida urbanização – 8%

Principais tecnologias que devem impulsionar as mudanças:

Internet móvel e tecnologia em nuvem – 34%
Crescimento no poder de computação e Big Data – 26%
Novas fontes e tecnologias de energia – 22%
Internet das coisas – 14%
Crowdsourcing e economia de compartilhamento – 12%
Robótica avançada e transportes autônomos – 9%
Inteligência artificial – 7%
Produção avançada e impressão 3D – 6%
Materiais avançados, biotecnologia e genômica – 6%

No Brasil, ao todo, esses foram os fatores impulsionadores de mudança no trabalho identificados no relatório.

Crescimento da classe média em mercados emergentes – 45%
Mudanças no ambiente de trabalho e acordo flexíveis de trabalho – 42%

Crescimento no poder de computação e Big Data – 27%
Novas fontes e tecnologias de energia – 27%
Internet móvel e tecnologia em nuvem – 24%
Mudanças climáticas e escassez de recursos naturais – 21%
Crowdsourcing e economia de compartilhamento – 18%
Maior interesse do novo consumidor em relação a questões éticas e de privacidade – 12%

Estudos apontam que 65% das crianças entrando no primário hoje estarão trabalhando em uma função completamente nova no futuro, que não existe atualmente.

Relatório completo, acesse http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *